Requalificação da Colina do Bonfim - 2016

 

 Localização: Bonfim

 

Área: 36.000 m2

Status do projeto: Concluído

Obra: Concluída

Descrição do projeto - A intervenção sobre o patrimônio urbano da Colina Sagrada do Senhor do Bonfim compreendeu ações de restauração (fonte e abrigo de ônibus localizado na Baixa do Bonfim), reformas com reestruturação funcional (praça da Baixa do Bonfim e mobilidade) e estrutural (alvenarias de contenção e sistema de drenagem), novas construções (edificação do abrigo de Velas e Água Benta) e reurbanização (conjunto paisagístico da Colina Sagrada), objetivando fortalecer o potencial cultural da Basílica do Bonfim e seu entorno e proporcionar aos moradores da cidade e turistas melhores condições de infraestrutura, acessibilidade universal, conforto e segurança. A poligonal de intervenção do projeto arquitetônico e urbanístico abrange a Praça da Igreja e o Largo da Baixa do Bonfim (Praça Eusébio de Queiroz), que têm usos diferentes. Enquanto a Praça da Colina é marcada pelo caráter devocional e cultural do público visitante, a Praça da Baixa do Bonfim, sugere usos recreativos, de contemplação, comerciais e serviços.

 

A Praça da Igreja evidencia o predomínio da Igreja do Bonfim e reforça o eixo da igreja, definido por uma linha imaginaria que perpassa a igreja e a praça longitudinalmente. A pavimentação da praça é em mosaico de Pedra Portuguesa preta e branca, o acesso de veículos na lateral da igreja em paralelo e meio fio, guias de pavimentação e degraus e rampas em granito cinza. A paginação do piso da praça é marcada pelo desenho de faixas lineares que fazem alusão às Fitas do Bonfim. Modulação também utilizada, sempre que possível, na distribuição dos canteiros, degraus, bancos, postes de iluminação.

 

Junto a Casa dos Romeiros e ao conjunto arquitetônico da Praça da Igreja, foi construída uma edificação (66,00m2 de área), com a função de prover aos visitantes o acesso a água santificada e local adequado para o velário, criando uma experiência sensorial ligado a materialidade e a luz que incide dentro do edifício de arquitetura contemporânea.

 

O Largo da Baixa do Bonfim (Praça Euzébio de Matos) foi redesenhada e reativado os arcos da Ladeira do Bonfim para funções comerciais e de serviços. No centro da praça foi disposto um palco para realizações de pequenos eventos pela comunidade. Na base dessa praça foi construído um grande estacionamento.

 

 

Farol da Barra - 2017

 

 Localização: Barra

 

Área: 7.486 m2

Status do projeto: Concluído

Obra: Concluída

Descrição do projeto: Importante marco de Salvador, o Farol da Barra é um dos locais que mais atrai visitantes e moradores da cidade. A urbanização considerou a demarcação das áreas de grama, que abrange a maior parte, e os caminhos em pedra portuguesa. Foi construído um acesso no entorno do Forte, antes inacessível, e um mirante para contemplação do mar e do pôr do sol.

 

  

Morro do Cristo - 2017

 

Localização: Barra

 

Área: 9.058 m2

Status do projeto: Concluído

Obra: Concluída

Descrição do projeto: Um espaço simbólico da cidade foi instituído patrimônio municipal, por tombamento em 2017. Esquecido pelo poder público durante anos, encontrava-se totalmente inseguro e inacessível às pessoas. O projeto impôs algumas mudanças que transformou o local, antes isolado, em um grande espaço de uso público. O espaço onde se encontra a escultura do Cristo foi totalmente requalificado com pavimentação em pedra portuguesa, substituição da mureta existente por mureta de proteção em alvenaria de pedra, a base de sustentação do Cristo foi substituída por uma coluna de vidro e a imagem do Cristo foi restaurada. Foram construídos caminhos de acesso ao local do Cristo e a praia e toda a área recebeu uma nova cobertura de grama e iluminação cênica.

 

 

 

Ponta de Humaitá

 

Localização: Monte Serrat

 

Período: 2017

Área: 11.910 m2

Status do projeto Concluído

Obra: Concluída

Descrição do projeto: Área de importância histórica e cultural da cidade de Salvador, onde estão localizadas edificações importantes como a Igreja, o Mosteiro e o Forte de Monte Serrat, bens federais tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) que formam, juntamente com a paisagem, um dos mais belos conjuntos paisagísticos da cidade. Conceitualmente, o projeto ateve-se a recuperação das estruturas, que se encontravam em estado de degradação, substituição de alguns materiais utilizados na última reforma, datada do ano de 1998, e que não resistiram a ação dos ventos, do salitre e do vandalismo. Por sua vez, integra também a poligonal de intervenção, a área contígua ao Forte de Monte Serrat, onde é encontrada uma quadra de esporte e um grande espaço verde, utilizado por praticantes das religiões de Matriz Africana para oferendas. Os usos desse espaço foram preservados e valorizados, com destaque para o uso de contemplação, por meio do paisagismo, melhoria do acesso ao mar, colocação de bancos, criação de uma área de sombra e um modulo de sanitário.