A atividade de deslocamento de pessoas e bens precisa ser entendida a partir de uma dimensão social e não apenas espacial. Em convênio de cooperação técnica com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), a Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF) elaborou um Plano Funcional de Mobilidade Urbana para o Centro Antigo de Salvador (CAS) a partir da integração de diversos modais – a pé (passeios, ascensores, passarelas), cicloviários, sobre trilhos (VLT), sobre pneus (VLP) e ônibus elétrico de Baixa Capacidade (E- BUS), abrangendo, diretamente, os bairros do Centro, Barris, Nazaré, Tororó, Saúde, Santo Antônio, Barbalho, Macaúbas, Comércio e Liberdade.

 

A proposta da FMLF tem como referência estudos recentes que destacam a dificuldade de conexão do Centro Antigo de Salvador com os bairros no seu entorno, seja pela topografia ou pela separação de funções. Observa-se que não há o estímulo à circulação mais diversificada entre área por moradores e visitantes. O objetivo principal do Plano é contribuir para a melhoria das condições de mobilidade e acessibilidade dos cidadãos, a partir de uma abordagem integrada entre transportes e uso do solo.